Alunos e professores de três universidades de Sorocaba, interior de São Paulo, que estão com aulas suspensas, estão usando laboratórios da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) para produzirem protetores faciais e álcool em gel para profissionais da saúde que atuam contra a Covid-19.  As produções envolvem professores da UFSCar, além de alunos da própria universidade e estudantes voluntários da Fatec (Faculdade de Tecnologia) e Unesp (Universidade Estadual Paulista) de Sorocaba.

Ao todo 30 pessoas voluntárias estão envolvidas no projeto e trabalham em turnos de quatro pessoas em estações individualizadas para que não haja risco de aglomerações. “Já produzimos cerca de 300 máscaras e ainda não podemos aumentar essa produção por causa da dificuldade com matéria-prima. Temos buscado em todo o Brasil, mas as fabricantes estão priorizando as compras de grandes quantidades por empresas”, explica Miguel Borrás, outro professor envolvido na produção.

Para manter a produção ativa, os materiais já foram comprados em cidades como São Paulo, Santo André e Hortolândia. As máscaras produzidas também estão sendo mandadas para ajudar profissionais de saúde de outras cidades. Além da Santa Casa de Sorocaba, hospitais de Limeira, Piracicaba, Sumaré e Santos receberam doações.

Álcool em gel

Voluntários também estão preparando o laboratório do curso de biologia da UFSCar para começar a produzir, nos próximos dias álcool em gel comum e glicerinado. O laboratório foi adaptado e a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) já liberou a produção sem a necessidade de certificação, já que a mão de obra presente no campus é qualificada.

Para poder produzir mais protetores faciais e o álcool, a Universidade está aceitando doações de placas de acetato e PET G, filamentos para impressão 3D, água oxigenada, etanol e carbopol. As empresas interessadas em ajudar podem entrar em contato com o professor Cleyton pelo Whatsapp (15) 99765-5704.

informações: G1