Para dar continuidade às suas aulas de balé, Erick Luan Silva, de 10 anos, que não tem internet em casa, está praticando a dança por meio de cartas enviadas pelos seus professores. O menino é aluno de uma escola de balé no bairro São Francisco, na região da Pampulha, em Belo Horizonte.

Desde julho, as aulas passaram a ser transmitidas pela internet, mas algumas crianças não puderam acompanhá-las por não terem computador ou mesmo acesso à rede em casa. Para não prejudicar nenhuma criança, a professora Andréa Anhaia teve a ideia de escrever cartas com lições de dança para cada um dos alunos. Segundo ela, a prática do balé pode servir de distração neste momento tenso, provocado pela pandemia.

Toda semana, a professora envia uma carta pedindo que os alunos realizem alguma tarefa que deve ser gravada em vídeo e enviada para a escola. Erick utiliza o celular de um familiar para mandar o material para a professora.

O garoto disse que sente falta da interação com os amigos e com os instrutores, mas entende que o retorno à escola ainda irá demorar um pouco.

Informações: R7