O governo do estado de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (29) a arrecadação de R$ 96 milhões em doações privadas para a construção de uma fábrica para produção exclusiva da vacina contra o coronavírus. A meta é alcançar R$ 130 milhões para dobrar a atual capacidade do Instituto Butantan, que é de 120 milhões de doses por ano contra o agente da COVID-19.

A potencial vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac está em etapa final de testes clínicos no Brasil. Nesta fase, as testagens envolvem 9 mil profissionais de saúde que se apresentaram como voluntários a 12 centros de pesquisa médica e científica de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e Distrito Federal. A conclusão é estimada para o final de outubro ou início de novembro.

Caso a última etapa de testes comprove a eficácia da vacina, o acordo entre Sinovac e Butantan prevê a transferência de tecnologia para produção do imunizante no Brasil. Assim, o Governo de São Paulo iniciou uma campanha de doações para construir a nova fábrica do Butantan em um prazo estimado de 10 meses. O objetivo é garantir a posição do Brasil como produtor e distribuidor da vacina na América do Sul tão logo a testagem indique o sucesso da imunização em humanos.

Nesta quarta, o Comitê Empresarial Econômico coordenado pelo Governo de São Paulo confirmou três novas doações no valor total de R$ 16 milhões para erguer a nova fábrica.

A campanha para arrecadar recursos para dobrar a produção, vai prosseguir até o final de agosto para que os R$ 34 milhões restantes sejam arrecadados com apoio de empresas e grupos filantrópicos privados. As doações serão transferidas integralmente à Fundação Butantan e verificadas por empresas de consultoria de atuação global para reforçar a transparência da iniciativa.