A SporTV e a VIU Hub, unidade de negócios digitais da Globosat, iniciaram o manifesto #PorqueÉMulher, com o objetivo de abrir espaço para discussões sobre o machismo e, assim, tentar contribuir para alguma mudança positiva na sociedade. A ideia surgiu depois que Camilla Garcia venceu o Looking for a Caster, reality show que revelou um novo talento da narração do jogo Rainbow Six Siege no Brasil. O título foi disputado com Victor Stoker e, por uma decisão do público, Milla como é conhecida, teve 55% dos votos ao empatar com seu oponente nas escolhas feitas pelo júri especializado e pelo time interno do Esporte do Grupo Globo.  Com o resultado, a narradora começou a ser alvo de uma leva de comentários machistas nas redes sociais, com acusações e julgamentos alegando que sua vitória não era por talento, mas sim por ela ser mulher.

Diante desse cenário, foi feito um vídeo-manifesto nas redes sociais do e-sporTV, canal no YouTube especializado em eSports, como ponto de partida no manifesto. “Milla e Stoker foram dois finalistas exemplares. É natural que algumas pessoas não concordem, o que não é normal é ofender com críticas machistas por não aceitar o resultado”, afirmou Vanessa Oliveira, diretora geral da VIU Hub.

As primeiras críticas vieram assim que o resultado foi anunciado nas redes sociais do e-SporTV. “Quando lemos esses comentários percebemos que ainda temos um longo caminho a trilhar para acabar com esse tipo de pensamento. Milla não ganhou por ser mulher, ela foi eleita porque passa emoção, porque tem uma voz marcante e expressiva, porque se mostrou tecnicamente preparada para narrar o game”, explica Leandro Valentim, Head de Novos Negócios do Esporte do Grupo Globo.

#PorqueÉMulher chega para reforçar um tema já trabalhado em outras frentes como #DeixaElaTrabalhar, “Mexeu com uma, mexeu com todas”, #PrimeiroAssédio e “Não é não!”, entre outras. O assunto será discutido também em programas de outras marcas da Globosat. “Essa campanha é necessária e será abraçada também pelo GNT, Multishow, Canal Brasil, Universal e Gloob, por exemplo. Ela começou por causa de comentários do universo gamer nas redes do e-SporTV e do SporTV, mas é algo que acontece em diversas outras frentes. Vamos ampliar a discussão dentro dos nossos programas e redes sociais”, adianta Mariana Novaes, gerente de marketing da Globosat.

Para dar ainda mais visibilidade ao tema, as marcas da Globosat terão uma série de iniciativas para levar a discussão até seu público. Também serão criados cards para compartilhamento nas redes sociais com frases sobre o conceito da campanha, uma série de artigos, podcasts e vídeos para a Plataforma Gente, da Globosat, entre outros.