Uma história comoveu as redes sociais esta semana. Para proteger seu cãozinho de estimação da violência do pai, um menino de 12 anos, que mora na cidade do México deixou o cachorro na porta ONG Refúgio Xollin, que resgata e cuida de animais abandonados e maltratados. Os funcionários encontraram uma caixa de papelão, com um filhote de pitbull, cinzento e com olhos enormes, um bichinho de pelúcia e um bilhete que dizia: Me chamo Andrés e tenho 12 anos. Eu e minha mãe decidimos deixá-lo nas mãos de vocês, porque meu pai queria vendê-lo”, escreveu o menino.

Andrés explicou ainda  que o pai era muito violento com o cachorro. “Ele o maltratava e batia muito nele. Uma vez bateu tão forte que acho que lhe quebrou a cauda. Esperamos que possam ajudar e cuidar dele. Deixo um bichinho de pelúcia para que não se esqueça de mim”.

As fotos do cãozinho foram colocadas no perfil da ONG no Facebook e viralizaram, juntamente com sua mensagem.

A ONG confirmou que a violência do pai de Andrés realmente causou uma fratura na cauda, mas ele deve se recuperar bem. Eventualmente, depois que esteja totalmente curado, ele será colocado para adoção na Cidade do México.

O refúgio publicou uma foto mais recente do cãozinho, que ganhou o nome de Rene e está se recuperando bem. “Rene com o bicho de pelúcia que seu humano de 12 anos lhe deixou para que nunca se esqueça dele”, diz o post.

Um representante da ONG explicou que a entidade já recebeu mais de 300 pedidos de adoção de diferentes partes do México, mas que Rene por enquanto ficará no abrigo, para ser acompanhado de perto pelo veterinário. “Mas temos mais de 120 animais prontos para serem adotados”, escreveu.