O menino Jonah Larson, de 12 anos, usou seus talentos para ajudar as pessoas que precisam. O garoto arrecadou dinheiro com suas criações de crochê para construir uma biblioteca na Etiópia, onde nasceu. E agora, ele pretende arrecadar o suficiente para a construção de um laboratório de ciências.

Jonah, que vive atualmente em Wisconsin, Estados Unidos, também dá aula de crochê e é autor de livros como “Hello, Crochet Friends! Faça arte, fique atento, retribua: faça o que te faz feliz”.

O menino descobriu o crochê quando tinha cinco anos. “Foi realmente uma coincidência descobrir o crochê. Minha tia deu às crianças uma sacola de suprimentos para artesanato que ela não queria mais e quando estava procurando encontrei algo pontiagudo. Perguntei à mamãe o que era e era uma agulha de crochê. Ela não sabia tricotar, então me ajudou a encontrar um tutorial no YouTube ”, disse o jovem à Simply Crochet.

Jonah terminou seu primeiro projeto de crochê, um pano de prato, no mesmo dia. Depois de completar o primeiro tutorial, ele passou rapidamente para projetos maiores e ainda mais ousados. Depois disso, o adolescente transformou seu hobby em uma oportunidade de ensinar aos outros o ofício. Na verdade, ele começou a publicar tutoriais em seu canal no YouTube, onde tem hoje em dia 82 mil inscritos e mais de 260 mil seguidores no seu Instagram.

Ele também passou a projetar itens e presentear ou doar para instituições de caridade. Uma dessas instituições foi o Roots Ethiopia, uma organização que melhora os padrões de educação e permite a subsistência de pessoas que vivem na Etiópia. Por meio de uma página do GoFundMe  que ele lançou no ano passado e das vendas em leilão de crochê realizado em homenagem ao orfanato da Etiópia, Jonah arrecadou a quantia necessária para construir a biblioteca e um novo laboratório de ciências na zona rural da Etiópia escola.

“É uma área pobre e crianças e famílias não têm acesso a livros e microscópios”, explica. “Muitos nunca viram um livro. Agora, vamos construir um laboratório de ciências.” O menino acha que todas as crianças deveriam ter uma educação.”