E a medicina segue avançado em várias frentes. Desta vez, uma equipe de médicos sul-africanos de Pretória, a capital da África do Sul, realizou o primeiro transplante de ouvido médio conhecido na literatura médica. A cirurgia usou a impressão 3D para reconstruir os ossos quebrados do ouvido de um homem de 35 anos, que perdeu a audição devido a um acidente.

Realizado no Hospital Acadêmico Steve Biko da Universidade de Pretória, o procedimento durou aproximadamente uma hora e meia e foi liderado pelo professor Mashudu Tshifularo, que estuda a perda auditiva há mais de 10 anos.  Em um comunicado, o médico contou que há dois anos começou a estudar a utilização da impressão 3D com o objetivo de escanear e reconstruir totalmente os menores ossos do ouvido médio, ou seja, o martelo, a bigorna e o estribo. “Ao substituir apenas os ossículos que não estão funcionando adequadamente, o procedimento traz riscos significativamente menores do que as próteses conhecidas e o procedimento cirúrgico associado.”

O transplante está sendo considerado como uma solução de longo prazo para perda auditiva condutiva e pode ser realizado em pessoas de qualquer idade, incluindo recém-nascidos. A cirurgia é capaz de curar pacientes com surdez causada por dano físico ou infecção no ouvido médio, bem como defeitos congênitos e doenças metabólicas.

O professor Tshifularo observou que o tratamento é bastante eficiente, agora precisa se tornar acessível para pacientes sem condições financeiras, como aqueles que utilizam os hospitais públicos da África do Sul. Essa conquista da medicina merece uma Salva de Palmas.