Em meio a realização da 3ª edição da Parada do Orgulho  LGBT que reuniu 3 milhões de pessoas na Avenida Paulista, a Mastercard anunciou que vai permitir que seus clientes transgêneros usem os nomes de sua preferência em cartões de crédito e débito. Segundo a companhia, um projeto está sendo desenvolvido com bancos parceiros para lançar os cartões “True Name”, que permitirão que os clientes façam suas escolhas sem exigir uma mudança em cartório, um processo que deve favorecer clientes transgêneros e não binários em particular.

A Mastercard lembra que o nome não é exatamente um quesito de segurança no momento das transações, e que nenhum estabelecimento valida o nome do titular do cartão no momento de uma compra. Por outro lado, a empresa informou que cerca de 32% dos indivíduos que mostram identidades com um nome ou gênero que não correspondem à sua apresentação relatam experiências negativas, como serem assediados, negados e/ou atacados. Como tal, muitos indivíduos transgêneros optam por abdicar do custo, complexidade e ansiedade associados ao nome oficial e às mudanças de gênero.

Durante um painel de discussão com a Comissão de Direitos Humanos da cidade de Nova York, a Mastercard divulgou esta iniciativa e está trabalhando para levar o cartão True Name ao mercado. “Somos aliados da comunidade LGBTQIA+, o que significa que, se vemos uma necessidade ou se esta comunidade não está sendo servida da maneira mais inclusiva, queremos ser uma força de mudança para ajudar a resolver e aliviar pontos problemáticos desnecessários”, disse Randall Tucker, Diretor de Diversidade e Inclusão da Mastercard.