A brasileira Juliana Estradioto, de 18 anos, natural de Osório, Rio Grande do Sul, conquistou o primeiro lugar na categoria Ciência dos Materiais da Intel International Science and Engineering Fair (Isef), uma das principais premiações do mundo de ciências para pré-universitários, realizada em maio deste ano, nos Estados Unidos. A estudante conquistou o prêmio com o projeto biodegradável de reaproveitamento da casca de noz macadâmia para curativos da pele e ainda alternativa à sacola plástica.

Como resultado, além do prêmio de US$ 3 mil dados pela Isef, a jovem batizará um asteroide com seu nome. A premiação nos Estados unidos reuniu cerca de dois mil estudantes do ensino médio de 80 países. Outro reconhecimento é que agora Juliana se torna a primeira jovem brasileira a ser credenciada a participar de uma cerimônia do Prêmio Nobel, na capital da Suécia.

A jovem é recém-formada no curso técnico em Administração integrado ao ensino médio, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS). Em seu currículo, já consta mais de 40 prêmios científicos nacionais e internacionais e participações em feiras de ciências no EUA.