Não é só a pandemia do coronavírus que vem preocupando as autoridades. Hoje, o Coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus de São Paulo, David Uip, informou que o estado está sem sangue em seus bancos de doação. Em entrevista coletiva, o infectologista disse que o banco que está em melhor situação tem só mais uma semana de estoques. “Essa é uma situação extremamente grave entendendo o momento e o que virá pela frente”, disse Uip. Segundo ele, os locais de doação de sangue são seguros e mantêm uma estrutura esterilizada para as pessoas, acrescentando que a população precisa contribuir com as doações.

Para se ter uma ideia da gravidade da situação, a Fundação Pró-Sangue, vinculada à Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo, por exemplo, está operando apenas com 40% da reserva necessária (todos os tipos sanguíneos) para dar atendimento a mais de 100 instituições de saúde da rede pública. Os sangues do tipo O+, O-, A- e B- estão em estado de emergência, ou seja, garantem o abastecimento por apenas um dia. Vale destacar que o sangue O+ está 75% abaixo do necessário, sendo que o O- está 70%.

O Brasil já tem 234 de coronavírus confirmados.  São Paulo é o estado com maior número de infectados pela doença, 152, e registrou hoje a primeira morte em decorrência da doença no Brasil. O paciente era homem, com 62 anos e tinha histórico de diabetes e hipertensão. Ele não tem histórico de viagem.