A Walt Disney Company anunciou que vai doar US$ 5 milhões para organizações sem fins lucrativos envolvidas na promoção da justiça social. A doação acontece no momento em que diversas cidades americanas são tomadas por protestos. anti-racistas por conta da morte de George Floyd, um homem negro que foi asfixiado por um policial em Minneapolis, no dia 25 de maio.

Uma das instituições beneficiadas é a National Association for the Advancement of Colored People (NAACP), que vai receber  US$ 2 milhões. Outra parte dos recursos será direcionada a organizações indicadas por funcionários da Disney.

Em uma postagem nas redes sociais, o CEO da companhia, Bob Chapek, declarou: “O assassinato de George Floyd forçou nossa nação, mais uma vez, a confrontar a longa história de injustiça que as pessoas pretas sofrem na América e é fundamental que permaneçamos juntos, falando e fazendo tudo o que for possível para garantir que atos de racismo e violência nunca mais sejam tolerados”. E completou: “Essa doação de US$ 5 milhões continuará apoiando os esforços de organizações sem fins lucrativos, como a NAACP, que vem trabalhando incansavelmente para garantir equidade e justiça”, disse.

Outras grandes empresas também se posicionaram de maneira favorável aos protestos anti-racistas nos EUA. Muitas delas participaram do Movimento #BlackOut Tuesday, como o Spotify, que também declarou doações financeiras.

Os serviços de streaming também aderiram aos movimentos antirracistas, incluindo Netflix, HBO Max, Amazon Prime Video e Hulu, usando as redes sociais para se posicionar. Google, Apple, Twitter e Facebook, entre outras gigantes da tecnologia, seguiram o mesmo caminho, se manifestando favoravelmente aos protestos. Mark Zuckerberg, inclusive, se comprometeu a doar US$ 10 milhões para grupos que trabalham promovendo justiça social.