O Dia da Consciência Negra é celebrado nesta quarta-feira (20).  A data, que  é uma referência à morte de Zumbi dos Palmares, um pernambucano que nasceu livre, mas foi escravizado aos seis anos de idade e mais tarde se tornaria líder do Quilombo dos Palmares e símbolo da resistência contra a escravidão, não é feriado nacional.

Dos mais de cinco mil municípios brasileiros, pouco mais de mil decretam a data como feriado. A Lei 12.519 de 2011 instituiu oficialmente o Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra. No calendário escolar nacional, foi incluída em 2003. Apesar disso, a data não faz parte do calendário nacional dos feriados, já que o Congresso Nacional não legislou sobre o tema. Em Alagoas, Amazonas, Amapá, Mato Grosso e Rio de Janeiro já existem leis estatuais que determinam o feriado. Em São Paulo, 645 cidades, incluindo a capital, comemoram a data. Já em Minas Gerais,  é feriado em 11 cidades, e Belo Horizonte não está entre elas.

Vale ressaltar que o objetivo do Dia da Consciência Negra é promover uma reflexão sobre a importância do povo e da cultura africana no Brasil. Também serve para analisarmos o impacto que tiveram no desenvolvimento da identidade cultural brasileira. A música, a política, a religião e a gastronomia entre várias outras áreas foram profundamente influenciadas pela cultura negra. Vale também para que as pessoas possam pensar sobre desigualdade social, racismo e muitos outros problemas que ainda existem no Brasil.