A terapeuta Emilie da Silva Stradtford movimentou a comunidade brasileira na Austrália e arrecadou mais de 100 mil reais para a compra de cestas básicas, destinadas a famílias carentes no Brasil. Morando em Sidney há 15 anos, a paulista criou o projeto #lembradecasa, com a proposta de convidar expatriados a ajudarem a mudar o cenário da fome no Brasil. “Todos que somos brasileiros e estamos fora de casa, não podemos pegar um avião para voltar. A ideia foi mostrar como a gente se conecta com Brasil sem estar no Brasil. É uma campanha de gratidão e honra às nossas raízes”.

O projeto foi lançado em novembro via plataforma de crowdfunding. “Sugerimos a doação mínima de 25 dólares australianos, que para gente é o preço de uma pizza grande, mas que no Brasil compra uma cesta básica que alimenta uma família de quatro pessoas por pelo menos duas semanas”, explica a idealizadora.

Com uma equipe de 13 voluntários alocada na Austrália, desafios não faltaram. Além do fuso horário com 14 horas de diferença, a logística também pesou. “Seria muito mais fácil para o projeto mandar o dinheiro direto para o Brasil e ter acabado ali, mas nós tivemos o cuidado de selecionar as ONGS e de planejar as entregas, pensando em como chegar nas áreas onde não passam caminhões, por exemplo”, conta Emilie.

Para a escolha das ONGs, a organização selecionou projetos em três dos quatro estados em que a fome é mais crítica, segundo os dados do IBGE: São Paulo, Bahia e Maranhão. E como o slogan da campanha era “cada centavo vira comida para o Brasil”, outro desafio era fazer com que o custo da operação não ‘comesse’ o valor arrecadado.

“Para diminuir custos de entrega, a gente tinha pensado em contratar um caminhoneiro, mas aí descobrimos que carga de comida no Brasil é preciosidade, é uma das cargas mais saqueadas. Então, tivemos que buscar uma empresa que fizesse as cestas e pudesse entregar de forma gratuita no Brasil inteiro”, explica a idealizadora, enfatizando que a equipe negociou o valor das cestas incansavelmente.

Informações: UOL