Depois de ser rejeitada por dez famílias, Olívia, uma recém-nascida soropositivo, finalmente conseguiu ser adotada na Argentina. A menina, que era sempre devolvida para o orfanato quando as pessoas descobriam que ela é portadora de HIV, foi adotada pelo casal homoafetivo Damian Pighin e Ariel Vijarra, que estavam há anos procurando por uma criança para adotar.

Os dois trabalham em uma ONG onde ajudam casais a passar pelo processo de adoção e foi lá que conheceram Olivia. Quando pegaram a pequena no colo e a alimentaram sem que ela chorasse, eles perceberam que ali havia uma ligação entre eles.

Após a adoção, Olivia recebeu todos os tratamentos necessários para o controle do vírus, que foi contraído ainda na barriga da mãe biológica, e, segundo seus novos pais, graças à eficácia dos medicamentos, o HIV não é mais detectado em seu corpo.

Damian e Ariel se tornaram o primeiro casal homoafetivo a se casar em Santa Fé, na Argentina. Eles esperaram por três anos até que pudessem finalmente adotar. Hoje eles são pais de Olívia e também de Victória.