Muitos alunos e escolas de todo o Brasil têm se manifestado contra o “Desafio da Rasteira”, que também ficou conhecido como “Quebra-Crânio”. A prática consiste em aplicar uma rasteira em uma pessoa desavisada que pula — assim, a vítima cai no chão com bastante força, o que pode ocasionar várias lesões gravíssimas e irreversíveis . Três alunos do Colégio Nossa Senhora Da Divina Providência, em Peruíbe, na Baixada Santista, por exemplo, gravaram um vídeo que se posicionam contra o tal desafio.

Eles começam a gravação simulando o desafio, mas, quando o garoto do meio pula, os colegas se abraçam. “A gente não vai fazer isso porque várias crianças já se feriram gravemente e eu me importo como meu colega”, diz um dos alunos

Três estudantes do Colégio Batista de Brasília também se posicionaram por meio de um vídeo: “Deixa eu te falar uma coisa, essa é uma brincadeira de muito mau gosto que está rolando na internet e aqui, essa brincadeira não rola. Muitas pessoas já se feriram gravemente. Nós nos importamos com o nosso colega e aqui não rola”. (veja abaixo).

O colégio Batista de Varginha, em Minas Gerais, também fez uma gravação parecida. “Achamos que seria uma boa forma de conscientizar de que se trata de uma brincadeira que traz sérios riscos. Nossos alunos já sabiam da ‘brincadeira’ e já tinha viralizado entre eles”, conta Tânit Miranda Ferreira, coordenadora pedagógica. “Para a gente, seria algo para efeito interno, no máximo na cidade. Mas já sabemos que o vídeo chegou a diversas cidades do Brasil”, comemorou.

Médicos e especialistas já alertaram sobre os perigos do desafio. Como a pessoa é pega de surpresa, pode bater a cabeça no chão e sofrer um traumatismo craniano, condição grave. Há também risco de fraturas múltiplas em vários pontos do corpo.

A Sociedade Brasileira de Neurocirurgia (SBN), também emitiu um alerta para pais e educadores sobre a necessidade de reforçar a atenção com crianças e adolescentes. “Esta queda pode provocar lesões irreversíveis ao crânio encéfalo, além da danos à coluna vertebral. Como resultado, a vítima pode ter seu desempenho cognitivo afetado, fraturar diversas vértebras, ter prejuízo aos movimentos do corpo e, em casos mais graves, ir á óbito”, escreveram. E alertou: “Os responsáveis pela ‘brincadeira’ de mau gosto podem responder penalmente por lesão corporal grave e até mesmo homicídio culposo. Informar/educar pode ser a primeira linha de ação”.

Fonte: Revista Crescer

 

‼ Você já se deparou com uma brincadeira de mau gosto, entre os alunos, que está rolando na internet?⁣⁣⁣🚫 Duas pessoas pulam e induzem a pessoa do meio a pular. Antes que a pessoa do meio toque o chão, as pessoas das extremidades aplicam uma rasteira. Essa "brincadeira" de mau gosto pode trazer consequências graves. ⁣⁣⁣👦🏻👦🏼👦🏽 Somos contra esse tipo de brincadeira. Somos a favor da brincadeira sadia. Somos a favor da brincadeira que educa e contribui para a formação moral e física dos nossos jovens. Por um mundo com mais empatia… #brincadeirademaugostonão⁣⁣⁣⁣⁣⁣#porummundomelhor #empatia #amoraoproximo #brincadeirasadia #escolacrista #educacaocrista⁣⁣

Posted by Colégio Batista de Brasília on Tuesday, February 11, 2020